Empregados em home office pedem redução de impostos no Reino Unido

As mudanças geradas pela pandemia da Covid-19 no mundo do trabalho impactaram o sistema de tributos do Reino Unido. Trabalhadores que atuam ou atuaram no modelo de home office por um ou mais dias no período da crise poderão solicitar abatimento de impostos. Segundo reportagem do jornal britânico “The Independent”, cerca de 800 mil pessoas já reivindicaram a redução sobre os custos domésticos desde o mês de abril.

A autoridade tributária do Reino Unido, HM Revenue and Customs (HMRC),  informou que a economia, por trabalhador, pode chegar a £ 125,00 por ano — cerca de R$ 895,00. A entidade ainda ressaltou que os empregados que voltaram aos escritórios desde o início do novo ano fiscal, em 6 de abril, ou se preparam para o retorno aos postos de trabalho podem pedir a redução do imposto de trabalho em casa. O benefício será válido para todo o ano fiscal de 2021 a 2022.

“Mais pessoas estão voltando ao trabalho agora, mas não é tarde demais para solicitar isenção de impostos sobre as despesas domésticas, caso tenham trabalhado em casa durante a pandemia”, disse Myrtle Lloyd, diretora-geral de atendimento ao cliente do HMRC, ao Independent.

De acordo com a matéria, desde abril de 2020, o valor máximo que os empregadores podem pagar sem impostos e sem que os trabalhadores tenham que provar o aumento nas contas é de £ 6 por semana (cerca de R$ 43,00). Podem pedir o benefício à autoridade tributária, com base na taxa de imposto, aqueles que não receberam o pagamento das despesas do trabalho diretamente do empregador.

Como exemplo, a reportagem explica que, se o profissional paga a taxa básica de 20% de imposto e reivindicar a isenção sobre as £ 6 semanais, receberá £ 1,20 (R$ 8,60). Ao ano, a redução chega a £ 62,40 (R$ 447,00). Os trabalhadores que contribuem com taxas mais altas, de 40%, conseguiriam o retorno de £ 2,40 (R$ 17,20) semanais — ou seja, £ 124,80 (R$ 894,00) para o custeio de contas extras adquiridas com o trabalho.
Clique aqui para ver a publicação na íntegra.

*Foto: Vlada Karpovich/Pexels

Compartilhar: